Mulher condenada por adotar 39 crianças deficientes

Na foto a senhora de 65 anos que adotou 39 crianças com deficiência. Ela está segurando o filho mais novo de 1 mês em seus braços.Nos últimos 40 anos, Kong Zhenian adotou um total de 39 crianças, todas com uma deficiência física ou mental. O problema é que esta caridade foi feita na China, onde as políticas de natalidade são rigorosas. A mulher foi condenada a entregar as propriedades e a ficar sem apoios sociais. 

Kong Zhenian, de 65 anos e que vive em Jiu Jiu, na províncachinesa de Shanxi, tem 39 filhos. Todos foram adotados e estimados como se fossem biológicos, mesmo com o ‘pormenor’ de que todos possuem pelo menos uma deficiência, física ou mental.

“Eu criei 39 crianças com problemas, mas a maioria, na verdade, apenas sofria com a negligência. Custou-me muito dinheiro, massempre nos arranjámos”, adiantou a mulher que, nos últimos 40 anos, tem cuidado dos filhos que não deu à luz.

Tudo começou no dia em que Kong Zhenian viu uma menina “abandonada ao lado de uma estrada”, recordou: “Senti tanta pena que tive de fazer algo”. Foi a primeira dos 39 filhos entretanto adotados.

O problema desta mulher é que tem sido uma santa na China, um dos países onde as leis da natalidade são mais rigorosas. O caso de Kong Zhenian chegou ao conhecimento das autoridades, que não tiveram a mesma piedade demonstrada por esta mãe.

A propriedade de 8000 metros quadrados foi confiscada pelo Estado e a mulher está proibida de receber qualquer apoio social. Tudo porque violou a lei que limita as adoções a três crianças por família: afinal, ela recolheu 39 órfãos…

“O mais velho tem agora 27 anos e tem uma vida independente, o mais novo tem apenas um mês. Seis foram para a universidade e outros dois entraram numa escola técnico-profissional”, contou a mulher.

“Tem sido muito duro”, em especial desde que perdeu a propriedade, mas Kong Zhenian não desiste de continuar a apoiar quem mais precisa. “Faço qualquer coisa e as pessoas também ajudam. Quando sabem da minha história mandam dinheiro, roupas e comida. Os meus filhos mais velhos também mandam sempre dinheiro”, explicou. 

“Ainda há muita alma boa neste mundo, por isso o presente não me preocupa”, assumiu Kong Zhenian: “O que me mete medo é o futuro, o que vai acontecer a estas crianças quando eu morrer…”

Fonte: site PTJornal por João Miguel Ribeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website