Joanna de Assis lança livro “Para-Herois”, em São Paulo

Descrição da imagem: ilustração de um corredor paralímpico que utiliza próteses. O fundo da capa do livro é amarelo e a ilustração na cor preta. Na frente está escrito em rosa Joana de Assis, abaixo em preto Para-He (o restante da palavra que é o Róis para completar Heróis está na cor rosa).O lançamento do livro “Para-heróis”, escrito pela jornalista Joanna de Assis, acontece na próxima terça-feira, 11 de novembro, às 19h, na Livraria Cultura Market Place Shopping Center, em São Paulo. O evento, que contará com a presença de artistas, jornalistas, atletas e amigos da autora, marca a primeira noite de autógrafos desta emocionante obra que apresenta os maiores para-atletas do país, suas histórias, dificuldades e superações.

Paratletas são geneticamente diferentes dos outros humanos. Superiores, eu digo. Pode ser que falte um membro, mas ali dentro daquele corpo há muito mais resiliência do que na média da população (…). O paratleta tem algo de diferente, uma predisposição a fazer o que parece impossível, a reinventar as funções do corpo e do cérebro”. Tiago Leifert.

Em outras palavras, nenhuma deficiência física é capaz de parar a trajetória de verdadeiros campeões. O livro-reportagemPara-Heróis surpreendente a qualquer um que leia as suas páginas, pois mexe com o que é invisível. Não a aparência de uma pessoa deficiente, não a ausência de um braço, uma perna ou da voz… Mas a força que carrega dentro de si.

Pelas palavras da jornalista Joanna de Assis Alan, Rosinha, Terezinha, Clodoaldo Dirceu, Ádria, Tenório, Daniel, Jovane e Mizael, dez dos principais para-atletas brasileiros, ganharam vida de um ângulo diferente. Ela os acompanhou durante as competições e ouviu suas histórias de vida. Alguns nasceram já deficientes outros tiveram de aprender a lidar com a frustração de ter um membro decepado, por exemplo.

Entre os casos inspiradores do livro, há o de Rosinha, cujo sorriso surpreendeu a escritora.“Uma das pessoas mais felizes que eu já conheci na vida. Sorri por qualquer motivo, sorri porque sabe o bem que faz sorrir. Mostra os dentes brancos que contrastam com sua pele negra brilhante com uma energia de raros. Seus desejos são tão simples que no dia em que foi atropelada por um caminhão, e teve sua perna esquerda esmagada, Rosinha mal chorou”, diz ela, revelando na sequência que por vezes chorou enquanto escrevia o livro.

Em uma narrativa emocionante, há também história do paraense Alan Fonteles, que com menos de um mês de vida perdeu as duas pernas e enfrentou um quadro grave de pneumonia. Hoje, ele é o velocista mais rápido do planeta, desbancando o maior ídolo que a Paraolimpíada já teve, o sul-africano Oscar Pistorius. O nadador Clodoaldo Silva, por sua vez, reúne vitórias constantes ainda que tenha paralisia nas pernas. Além dos inúmeros pódios, ele cita na obra que a sua maior conquista é a primeira filha, Anita, nascida em 2008.

Nos dizeres do tetracampeão mundial de Paracanoagem Fernando Fernandes,“Joanna tem algo a mais, que a torna ainda mais especial: a delicadeza e o olhar de uma mulher que vivencia e ama o esporte”. Além dele, o apresentador da TV Globo Tiago Leifert assina o prefácio do livro – que chega doa 10 de novembro às livrarias pela editora Belas-Letras.

Sobre a autora

Joanna de Assis começou sua carreira no jornalismo em 1999, na Gazeta Esportiva, e desde então, tem se consolidado como uma das maiores repórteres esportivas do país. Trabalhou no Terra, Uol, Globoesporte.com, Revista Placar e, depois de ser escalada de última hora para cobrir um jogo de futebol no lugar de um colega, passou a integrar o time de jornalistas do SporTV, onde já entrevistou, entre outros, Roger Federer, Rafael Nadal, Ronaldo Fenômeno, Boris Becker, Ryan Lotche, Isinbayeva e Usain Bolt. Também faz parte do programa Bem, Amigos, apresentado por Galvão Bueno. Para-Heróis é seu primeiro livro.

Fonte: site Futebol Interior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website