Homem paralisado volta a andar com terapia de células do nariz

Descrição da imagem: foto do homem que voltou a andar fazendo exercícios em uma barra de ferro onde ele se apoia.Um feito que até então parecia longe de ser alcançado pela ciência está se tornando realidade. Um homem paralisado desde 2010 conseguiu dar seus primeiros passos neste mês após uma terapia pioneira de recuperação da medula espinhal que utilizou células ligadas ao olfato.

O tratamento foi realizado por cirurgiões liderados por Pawel Tabakow, da Universidade de Wroclaw, na Polônia, em colaboração com cientistas comandados por Geoffrey Raisman, do Instituto de Neurologia da University College de Londres (UCL), no Reino Unido. Os detalhes foram publicados na revista “Cell Transplantation”. Darek Fidyka, um búlgaro que ficou paralisado do peito para baixo em um ataque com faca há quatro anos, agora anda com o auxílio de um suporte.

O tratamento utilizou células da cavidade nasal do paciente, responsáveis pelo sentido do olfato. Elas agem como um caminho celular que permitem que as fibras nervosas localizadas no sistema olfativo sejam continuamente renovadas.

Na primeira de duas operações, os cirurgiões removeram um dos bulbos olfativos do paciente e acrescentaram as células, que cresceram em cultura. Duas semanas mais tarde eles transplantaram as células para a medula espinhal, que tinha sido rompida pelos ataques de faca. Eles usaram apenas uma gota do material para trabalhar, cerca de 500 mil células. Mais de cem microinjeções foram feitas acima e abaixo da lesão .

Quatro tiras finas de tecido de nervo foram tomadas a partir do tornozelo do paciente e colocada por meio de uma lacuna de 8 mm no lado esquerdo do cordão.

Dessa forma, os cientistas acreditam que as células do olfato forneceram um caminho para permitir que as fibras acima e abaixo da lesão pudessem se reconectar, usando os enxertos de nervos para preencher a lacuna no cordão.

Resultados. Após cerca de três meses, Fidyka notou pela primeira vez que o tratamento tinha sido bem-sucedido, pois ele começou a sentir o músculo da coxa esquerda. Seis meses depois da cirurgia, ele foi capaz de dar os primeiros passos ao longo de barras paralelas, usando muletas e com o apoio de um fisioterapeuta.

Dois anos após o tratamento, o paciente agora pode andar pelo lado de fora do centro da reabilitação utilizando um suporte. Fidyka também recuperou algumas funções da bexiga e do intestino, além da sensação e função sexual.

“Quando começa a retornar, você sente que sua vida começou de novo, como se fosse um renascer. É um sentimento incrível, difícil de descrever”, disse Fidyka à BBC.

Fonte: site do Jornal O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website