Gramática será traduzida em braille

Descrição da imagem: em uma mesa alguns livros empilhados.A primeira gramática escrita em braille que leva o repente às pessoas com deficiência visual foi lançada oficialmente às 21h do domingo (24/8) durante a festa de encerramento do 41º Festival de Violeiros no Piauí, no Teatro de Arena, Centro de Teresina.  “Nos Caminhos do Repente” é assinado pelo presidente da Associação e Poetas Populares do Piauí – Casa do Cantador, Pedro Mendes Ribeiro, que repassou os direitos autorais à Associação dos Cegos do Estado do Piauí (ACEP).

Com a doação dos Direitos Autorais, Pedro Ribeiro comentou que somente a ACEP estará autorizada a decidir sobre a publicação do livro. Além disso, toda a renda produzida a partir da venda do material pertencerá à entidade social.    “Esse livro está na terceira edição e na primeira a ser traduzida em braille, uma linguagem especial para os cegos, que é uma novidade a ser lançada pela primeira vez no Brasil.  Eu desconheço a existência de qualquer outra gramática desse tipo”, disse Pedro.

Atualmente, o processo de tradução do primeiro livro está sendo finalizado. Segundo o presidente da ACEP, Aluísio Gonzaga, a transformação da escrita é realizada por meio da datilografia braille, mas esse processo é lento porque é realizado manualmente.

“O custo da impressão em braille é muito alto porque é feito em material especial. Por isso, vamos entrar em contato com a Prefeitura de Teresina para conseguirmos uma impressora em braille, que custa cerca de R$ 23 mil para produzir o livro em grande escala e alcançar o maior público possível”, explicou Aluísio.

Sobre a publicação do livro, Aluísio acrescentou que ele será a principal fonte de renda para a manutenção da sede da APEC, localizada no bairro São Pedro, Zona Sul de Teresina, e no desenvolvimento de novos projetos. “Quando nós conseguirmos traduzir o livro e produzir em escala nacional, a gramática será a principal fonte de renda. Com isso, nós vamos poder encaminhar outros projetos de forma autônoma e ajudar ainda mais as pessoas com deficiência visual do nosso Estado”, destacou.

Para Aluísio, a parceria entre a ACEP e a Casa do Cantor é um importante passo para ampliar a inclusão social no Piauí. “Nós temos várias pessoas com deficiência visual que são repentistas e alguns estudantes da ACEP demostraram interesse por essa literatura. Por isso, o livro irá ajudar e muito para as pessoas que desejam se profissionalizar e seguir carreira nessa área”, finalizou.

Fonte: site G1.com Do G1 PI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website