Falta de sangue ameaça também o HPS

O baixo estoque de sangue no Hemocentro de Belo Horizonte ameaça os atendimentos da principal unidade especializada em traumas da América Latina. Referência em cirurgias de urgência, o Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII já opera no limite e corre o risco de cancelar procedimentos caso a situação não seja normalizada na Fundação Hemominas.
Descrição da imagem: uma mulher verificando o estoque no banco de sangue que está muito baixo.
Desde a última quinta-feira, cirurgias eletivas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nos hospitais estaduais e municipais da capital, estão suspensas. A previsão é a de que os cancelamentos durem até segunda-feira. Conforme a Hemominas, faltam todos os tipos sanguíneos, principalmente O positivo.
Por dia, cerca de 15 cirurgias são realizadas no HPS. “O fluxo de atendimentos não para. A maioria dos casos é grave, envolvendo acidentes automobilísticos ou pessoas baleadas. Muitas vezes, é necessária a transfusão sanguínea. Caso o estoque continue baixo, a situação tende a ficar complicada na semana que vem”, alerta o coordenador médico do João XXIII, Marcelo Lopes Ribeiro.
Segundo ele, outra unidade de referência na capital, o hospital Risoleta Neves, já é afetado.á, são dez cirurgias por dia. “Cerca de 20% dos procedimentos, a maioria envolvendo cirurgias ortopédicas ou vasculares, tiveram que ser reagendados. Por isso, fazemos um apelo à população para ajudar. Sangue não se compra”, diz.
Remanejamento
Na última sexta-feira (16), em uma manobra de emergência, a Fundação Hemominas conseguiu amenizar o desfalque no estoque de sangue do tipo O positivo – que pode doar para A, B e AB com o mesmo RH.
A saída – requisitar material em cidades do interior – fez com que o estoque passasse de 90% para 50% abaixo do ideal.
“A unidade da Hemominas em BH tem capacidade para fazer 350 coletas por dia, mas está longe disso. É necessário elevar imediatamente o patamar de 130 doações por dia para 200”, diz o coordenador da fundação na capital, Marcelo Froes. Ele lembra, porém, que nem esse aumento será suficiente para manter os estoques ideais de segurança.
Voluntários devem procurar o Hemocentro de BH (na Alameda Ezequiel Dias, 321, atrás do Parque Municipal, no Centro) de segunda a sexta-feira, das 7 às 18h.
Também é possível agendar a doação pelo telefone 155. Informações no endereço eletrônicowww.hemominas.mg.gov.br.

 Fonte: jornal Hoje em Dia por Renato Fonseca e Danilo Emerich.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website