Deficientes superam desafios com controle emocional

Na semana do Dia dos Direitos Humanos (10) e Dia do Cego (13), Saúde com Ciência reapresenta a série Inclusão Social

“Depois da tempestade, vem a bonança”. O ditado popular prevê dias melhores para aqueles que enfrentam adversidades. No meio desse caminho, porém, é comum que haja um longo processo de superação emocional, inclusive no caso de pessoas que lidam com alguma deficiência, seja comportamental, auditiva, visual ou motora.

Pedro Américo Sobrinho foi professor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG por mais de 30 anos e é especialista em Reabilitação e Esporte Adaptado. Ele cita um modelo proposto pela psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross, baseado em estágios pelos quais as pessoas passam ao lidar com o luto, em um sentido mais amplo. “Ela o dividiu em várias fases: negação, raiva, depressão, barganha e aceitação. Esse estudo tem a vantagem de trazer a ideia de como a pessoa normalmente se comporta”, afirma.

O professor também comenta um modelo em espiral, que implica no retorno de um indivíduo da fase de aceitação para a de agressividade, por exemplo. “Aceitação não pode significar resignação. Por isso, é importante que a pessoa seja motivada a seguir lutando. Quanto mais ativa ela tiver, mais difícil será seu retorno a um contexto de descontrole emocional”, adverte.

Após voltar às atividades cotidianas de acordo com as possibilidades, a pessoa, com frequência, se torna mais solidária. Inspirado nos estudos citados e na classificação internacional de funcionalidades, Pedro Américo também desenvolveu um modelo de superação, que avalia, entre outros tópicos, objetivos adequados para superar o problema. “Nós vamos ajudar essa pessoa a estruturar normas de referência. Periodicamente, a gente volta na reavaliação, mas semanas, meses ou anos depois, ela vai ter mais potenciais do que tinha no início”, resume.

Tema da semana

Confira a programação, que ainda conta com entrevistas de estudantes e outros especialistas da UFMG:

Comunidade cega e o ensino superior – segunda-feira (09/12/13)

Deficiência motora e acessibilidade – terça-feira (10/12/13)

Família Down – quarta-feira (11/12/13)

Surdez e a língua de sinais – quinta-feira (12/12/13)

Superação emocional – sexta-feira (13/12/13)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 fm. Ele ainda é veiculado em 35 emissoras de rádio em Minas Gerais. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Fonte: site da Faculdade de Medicina da UFMG.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website