Boneca com deficiência ajuda no trabalho de inclusão

Caminhar nunca é só sair do lugar, diz mais a respeito da vontade do que da movimentação em si. Valentina Descolada, a Tina, como é conhecida, é uma boneca cadeirante, exemplo de que não é só o caminhar que move ou que faz mover. Sonhada e idealizada pela psicóloga e fotógrafa Marta Alencar, Valentina é uma jovem que adora viajar, passear, namorar, cozinhar, assistir e participar de desfiles de moda. A falta de acessibilidade em quase todos os lugares não a impede de curtir o lado bom da vida.

A boneca representa uma jovem que nasceu com paralisia cerebral e que tem os membros inferiores comprometidos, mas, graças ao trabalho de reabilitação que fez desde a infância, os braços e as mãos da Tina são fortes o suficiente para que, quando ela desejar, possa dar uns passos com auxílio de um andador. Ela representa os desafios vividos por cadeirantes e pessoas com deficiência.

Tina, que já ganhou perfis no Facebook e no Instagram, agora está com a agenda cheia. Desde o último dia 24, as fotos da boneca estão expostas no setor infantojuvenil da Biblioteca Pública Luiz de Bessa, na praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, e vão ficar por lá até esta sexta (10), quando haverá uma programação especial: exposição de brinquedos em desenhos universais, ou seja, que são adaptados e inclusivos; oficina interativa com o jornalista Ricardo Albino, que usa cadeiras de rodas; experiências com recursos de acessibilidade como cadeiras de rodas, jogo de bocha, vendas para os olhos, papel-lápis. 

ATENÇÃO: a fonte das matérias publicadas neste blog, sempre será indicada. Caso tenha alguma dúvida sobre a matéria ou algo nesse sentido, peço a gentileza em entrar em contato com os responsáveis pela a fonte.

Fonte: site do jornal O Tempo por Raquel Penaforte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website