Deficientes enfrentam problemas de acessibilidade nas ruas de Boa Vista

Apesar da acessibilidade para cadeirantes ser um direito, em Boa Vista a lei continua sendo desrespeitada. Diversos pontos de grande circulação não contam com rampas de acesso, dificultando a vida de quem mais precisa. Um dos que se sentem prejudicados é o servidor público Edilson Aguiar, de 38 anos.

Todos os dias, ele cumpre as atividades como servidor público em uma escola do Centro de Boa Vista. Mas, chegar ao local de trabalho não é uma das tarefas mais fáceis. No caminho, faixas de pedestres facilitam a travessia da avenida Ene Garcez, mas para ele isso não é suficiente.

Descrição da imagem: cadeirante em uma rua.

Sem rampas de acesso, Aguiar tem que escolher entre seguir pela rua e se arriscar, dividindo espaço com os carros, ou enfrentar as dificuldades de subir o meio-fio. A calçada cheia de obstáculos é mais um desafio. Em uma delas, a falta de manutenção o obriga a voltar para a rua. Uma dura rotina para quem precisa trabalhar.

“Além de não ter rampas, as ruas e calçadas são esburacadas, os acessos não existem. Para quem é cadeirante, é muito difícil. Eu tenho certa habilidade. E quem não tem? É pior ainda! Infelizmente, essa é a nossa realidade, tendo que correr riscos entre os carros. Alguns motoristas respeitam, outros não. E assim a gente vive. Bola pra frente, pois não podemos desistir!”, desabafa o servidor público.

A prefeitura tem incluído as rampas nas recentes obras de mobilidade urbana da capital. O problema é que em alguns lugares existem obstáculos que podem dificultar e até impedir o acesso dos cadeirantes.

Em um rápido giro pelas ruas, as obras podem ser vistas. Em uma delas, existe uma placa de trânsito logo após a rampa. Em outra, um poste impede o acesso. Uma rampa recém-construída já apresenta problemas e precisará ser refeita. Pedaços de cimento se soltam com facilidade e começam a formar um buraco. Um grande desafio para boa-vistenses como Edilson Aguiar, que só querem ter seus direitos respeitados.

“Esperamos que melhore, que esses engenheiros de trânsito melhorem isso cada vez mais, pois tem dificultado para gente. Às vezes, há lugares que têm a faixa de pedestre, mas não têm a rampa; outros, têm a rampa, mas não a faixa”, destacou.

Outro lado
A Secretaria de Obras e Urbanismo informou que está reformando calçadas da capital e aproveitando para implantar acessiblidade nesses locais, enquanto o plano de mobilidade urbana está em análise na Caixa Econômica Federal.

A prefeitura de Boa Vista explicou que esse plano prevê melhorias para pessoas com deficiência, pedestres, ciclistas e motoristas em vários pontos da capital.

Fonte: site G1.com Com informações da TV Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website