Tecnologia de som direcional ajuda atletas cegos a correr

Muita gente não sabe, a incidência de obesidade e diabetes é alta entre as pessoas cegas e isso está relacionado às limitações para correr ou realizar atividades físicas comuns. Atletas, por exemplo, só competem com a presença de alguém com a visão. Isso pode mudar em breve: o projeto The Impossible Run, capitaneado pela empresa sueca de design de som Lexter, usa uma tecnologia de som direcional para ajudar deficientes visuais a correr.

Denominada de “hyper directional sound technology” (“tecnologia de som hiper direcional”), o sistema usa alto-falantes com uma fina camada de filme para gerar feixes ultrassônicos em precisas linhas, somente audíveis por pessoas as quais o aparelho mira. Ainda que essa ideia não seja nova, nada como isso havia sido feito antes.

Depois de dois anos de planejamento, otimização e calibramento, principalmente para isolar ruídos que podem atrapalhar a performance, a equipe responsável encontrou o ajuste ideal e o teste que comprovou sua eficácia foi realizado no dia 17 de março, em um estádio na região de Estocolmo. Oscar, um desportista local de 18 anos que nada enxerga desde os 5 anos, fez um trajeto de 50 metros sem precisar da companhia de outro corredor.  Acesse o vídeo:

E o que vem na sequência?

Para que Oscar possa ouvir e se sentir seguro o suficiente para correr na direção que o som “mapeia” são necessários dois alto-falantes hiper direcionais à sua frente, um à esquerda outro à direita, ambos com feixes diferentes, que, ao se unir, criam um “túnel” capaz de guiá-lo. Um terceiro gadget fica na linha final para avisá-lo que ali ele precisa diminuir a corrida e parar.

A intenção é aumentar os estudos a respeito e realizar um grande teste na Paraolimpíada de Tóquio, em 2020. O comitê paraolímpico sueco já se interessou pelo projeto e quer levá-los aos treinos de Viktoria Karlsson, medalhista de ouro em salto em distância para atletas cegos. Para saber mais, é só acessar o site theimpossiblerun.com.

ATENÇÃO: a fonte das matérias publicadas neste blog, sempre será indicada. Caso tenha alguma dúvida sobre a matéria ou algo nesse sentido, peço a gentileza em entrar em contato com os responsáveis pela a fonte.

Fonte: site Tecmundo por Cláudio Yuge. (Com adaptações).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website