Senado Inclusivo abre 10º Semana da Pessoa com Deficiência

O Senado Inclusivo vai promover a 10ª Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência, que começa com uma conversa sobre o Projeto Deficiente Visual na Trilha, que ensina pessoas cegas a andar de bicicleta. Também serão discutidos temas como o atendimento à pessoa com deficiência e o acesso aos bens culturais e ao lazer. Uma oficina de fotografia inclusiva e apresentação de música e dança fecharão a Semana.

A participação de deficientes visuais em trilhas de bicicleta e em competições pode parecer impossível, mas já é uma realidade em Brasília. Quem ficou curioso pode conhecer nesta segunda-feira (5) o Projeto Deficiente Visual na Trilha, que ensina pessoas cegas a andar de bicicleta. O tema será tratado pela psicóloga e coordenadora do projeto, Simone Fernandes Cosenza, às 10h, no Auditório do Interlegis.

O evento é aberto ao público externo. A programação completa, com horários e locais das atividades, pode ser vista no hotsite da Semana. As inscrições podem ser feitas pela internet.

Na terça-feira (6), o debate será sobre atendimento à pessoa com deficiência e acesso aos bens culturais e ao lazer. O tema será tratado pela gerente de Inclusão e Acessibilidade da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, Bárbara Barbosa. O presidente da Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos do Distrito Federal, Marcos Brito, também falará.

Uma oficina de fotografia inclusiva, para pessoas com e sem deficiência, está marcada para quarta-feira (7) com os servidores do Senado João Rios e Cláudio Cunha. Haverá aula teórica e prática.

— A aula prática será na área externa, e João Rios vai ensinar as pessoas com deficiência que podem usar a fotografia. Tanto o caso da fotografia como o da bicicleta são atividades instigadoras, que fazem repensar a própria ideia dessas atividades — ressalta Pérsio Henrique Barroso, coordenador do Núcleo de Ações Socioambientais do Senado.

Ele assinala que a Semana de Valorização pretende não somente discutir de maneira teórica os direitos da pessoa com deficiência, mas viabilizar a garantia desses direitos.

— O núcleo tem feito uma série de ações, como treinamento do pessoal da visitação em Libras [língua brasileira de sinais]. Isso traz um ganho para a competência e habilidade do servidor, que vai saber como atender a pessoa com deficiência. Vão também nessa mesma linha as vivências e sensibilizações, com servidores em cadeiras de rodas e olhos vendados para vivenciarem a experiência [de como é ter alguma deficiência] — diz Pérsio.

A servidora Célia Pessoa, que faz parte do Senado Inclusivo, programa do Núcleo de Ações Socioambientais, ressalta a importância do evento.

— Temos que aprender a respeitar as diferenças e a lidar com elas. Cada um tem uma dificuldade. É necessário adaptação para que essas pessoas possam se incluir. O problema não são as pessoas, mas as barreiras — afirma Célia.

Está previsto também um debate, na quinta-feira (8), sobre atendimento à pessoa com deficiência intelectual. O diretor-presidente do Movimento Orgulho Autista Brasil, Fernando Cotta, e o titular da Coordenação de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Distrito Federal, Paulo Beck, tratarão do tema.

Na sexta-feira (9), haverá apresentação de música e dança. A cantora e revisora de textos em braile da Gráfica do Senado, Daniela Ribeira, que é cega, cantará durante o evento. Com o mesmo tipo de deficiência, Genes Auvray Guedes, de Porto Velho, apresentará seu trabalho em improviso e arranjo. Além de tecladista, ele é cantor, baterista e violonista.

Servidores com deficiência

De acordo com dados do último recadastramento, há no Senado 74 servidores efetivos e comissionados com deficiência. São 38 com deficiência física, 18 com deficiência visual, 16 com deficiência auditiva e dois com deficiência intelectual.

O Senado possui uma Política de Acessibilidade, instituída pelo Ato da Comissão Diretora 15/2013. Há ainda o Plano de Acessibilidade, instituído pelo Ato da Diretoria-Geral 9/2016, que tem por objetivo promover a inclusão plena das pessoas com deficiência, em condições de igualdade, para garantir o reconhecimento e a efetivação de seus direitos.

Fonte: site da Agência Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website