Secretaria propõe parceria com o TSE por mais acessibilidade nas eleições 2016

Descrição da imagem: foto de um cadeirante em frente a uma escadaria demonstrando falta de acessibilidade para ele chegar até o a sala de votação para exercer sua cidadania.A melhoria da acessibilidade para as eleições municipais de 2016 foi o tema do encontro entre o secretário nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência,  Antonio José Ferreira, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República(SDH/PR), e o ministro do TSE, José Dias Toffoli, na sede do Tribunal, em Brasília.

Na ocasião, foi entregue um documento que reuniu sugestões de medidas para melhorias arquitetônicas e comunicacionais que auxiliem o TSE na efetivação do Programa de Acessibilidade da Justiça Eleitoral, criado pela Resolução 23.381/2012.

“Viemos ao TSE com bastante antecedência valendo da sensibilidade que o ministro tem sobre o tema das pessoas com deficiência para que tenhamos tempo hábil em incidir sobre o processo eleitoral de 2016, garantindo sobretudo acessibilidade nos ambientes de votação”, disse o secretário Antonio José.

“O uso da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) nos programas eleitorais e a presença de profissionais que tenham domínio das LIBRAS nas seções para auxiliar as pessoas com deficiência auditiva.” 

Uma das propostas aprimora a medida atual que solicita que as pessoas com deficiência se identifiquem para serem encaminhadas para uma seção eleitoral especial.

“As seções especiais segregam, a ideia é que todas as pessoas possam votar nas suas seções originais sem precisar que se identifiquem antes, por isso propomos que as urnas estejam em locais com acessibilidade e em andar térreo”, afirmou.

Além da acessibilidade arquitetônica, o ministro considerou a importância da realização de um trabalho orientação dos mesários e de todas as pessoas presentes nas seções eleitorais. Sobre o documento entregue, Toffoli acredita ser um “pontapé inicial” para a parceria com a SDH/PR pela melhoria das condições de votação.

A Justiça Eleitoral tem o registro de 378.807 eleitores com deficiência em todo o País.

Também integraram a comitiva, representando o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), o promotor de Justiça, Waldir Macieira e o coordenador-geral do Conselho,  Jorge Amaro.

Fonte: Portal Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website