Projeto promove oficina de fotografia para surdos

Ampliar a acessibilidade cultural em Natal. Este é o principal objetivo de “Narrativas do Silêncio”. Idealizado e produzido por Daniely Evelly e Fábia Fernandes, alunas do curso de Tecnologia da Produção Cultural do IFRN, o projeto constitui um grande desafio: promover uma oficina de fotografia com pessoas surdas, culminando com a realização de uma exposição que reunirá uma mostra do trabalho produzido pelos participantes. Para tanto, a oficina terá que ser inteiramente traduzida na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Ministrada pelo fotógrafo José Aglio (Designer Industrial e Fotógrafo Still), com tradução de Rogério Rayknnem, a oficina terá aulas teóricas nos dias 26, 27 e 30 de novembro de 2015, das 18h30 às 20h30, no Campus Cidade Alta do IFRN, e atividade prática no sábado, 28 de novembro, das 14h00 às 16h00, no Parque das Dunas. Já, a exposição fotográfica será realizada na Pinacoteca do Estado, na Cidade Alta, com abertura em 7 de dezembro, estendendo-se até 7 de janeiro de 2016.

“Narrativas do Silêncio” é um exercício prático das disciplinas de Elaboração e de Desenvolvimento de Projetos, integrantes da grade curricular do curso de Produção Cultural do IFRN. A proposição foi inscrita e contemplada no Edital nº 02/2015 do Sebrae/RN, destinado à seleção de projetos ligados à Economia Criativa. As vagas são limitadas, com inscrições gratuitas sendo realizadas na sede da Associação de Surdos de Natal – ASNAT, no Centro de Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS/Natal e no Centro de Saúde Auditiva SUVAG-RN.

Conquista – A acessibilidade cultural é uma conquista das pessoas com deficiência. Em termos gerais, o direito é consagrado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, mas está especificado na Convenção Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada por unanimidade pela ONU em 2007 e ratificada pelo Brasil em 2009.

Acessibilidade cultural implica reconhecer o direito das pessoas com deficiência de participar da vida cultural, em base de igualdade com as demais pessoas. Tanto no que diz respeito à fruição de bens e serviços, quanto ao acesso a materiais e atividades que favoreçam o fazer artístico-cultural.

Há poucas experiências de ações e políticas culturais de acessibilidade em nosso país. Em geral, elas se reduzem à perspectiva da acessibilidade física do espaço. “Narrativas do Silêncio” é uma bela e bem-vinda exceção, concebida em um laboratório que, com certeza, ainda renderá muitos outros bons frutos.

Fonte: Portal Vermelho  – Foto da internet.

3 thoughts on “Projeto promove oficina de fotografia para surdos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website