Projeto educacional de Paraíba do Sul resgata dignidade de deficientes visuais

A prefeitura de Paraíba do Sul lançou um projeto inovador que vem transformando a vida dos deficientes visuais do município. Coordenado pela professora Rosana da Costa Mello, que também é deficiente visual, o projeto consiste em aulas de informática e socialização gratuitas para os deficientes.

As aulas começaram em agosto do ano passado. A professora conta que, antigamente, precisava fazer um enorme sacrifício para se capacitar e ter autorização para dar as aulas. “Eu acordava 3h30 da manhã e só chegava em casa às dez horas da noite. Eu tinha medo, pois o transporte não era adequado e não me sentia segura para ir sozinha. Por isso fiquei um bom tempo parada. Na atual gestão, retomei às aulas e, em apenas sete meses, consegui meu certificado. Estou muito feliz de poder fazer parte deste projeto e colaborar, trazendo cada vez mais projetos como este para nossa cidade”, disse.
Atualmente, são 11 alunos beneficiados pelo projeto, mas a tendência é que a procura aumente nos próximos dias. As aulas retornam no dia 5 de fevereiro. Ainda de acordo com a professora Rosana, mais do que educar, o projeto tem o objetivo de trazer mudanças significativas na vida do deficiente visual. “Este projeto traz independência, dignidade e autonomia para quem é cego. Quem não enxerga é muito dependente de outra pessoa para fazer quase tudo. Com estas aulas, estamos inserindo o deficiente de volta no meio social, para que se sintam seguros para realizar tarefas, andar sozinhos na rua e até conseguir uma posição no mercado de trabalho”, afirmou Rosana.

E a expectativa é que o projeto cresça mais ainda no primeiro semestre. De acordo com informações da prefeitura, já estão sendo feitos investimentos para criação de uma sede própria inteiramente adaptada para receber os deficientes visuais, além da criação de biblioteca adaptada com livros em áudio e em braile.

As aulas acontecem às quartas feiras, de 8h às 17h, no Núcleo Municipal de Ensino Especializado (Numees), e podem participar crianças e adultos. 
Fonte: site Jornal Online Entre-Rios por redação. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website