Música quebra silêncio na vida de autista que ganhou sanfona de Jorge e Mateus

Há quatro anos, o silêncio foi quebrado no mundo de Felipe. Autista, ele tem poucos amigos e não conversa. Mas o gosto pela música o fez se comunicar de outra maneira. Fã de cantores sertanejos, passou a tocar sanfona. Mas como nada é fácil na vida de quem é diferente, levar o instrumento de ônibus até o curso ficou inviável. O rapaz só conseguiu voltar às aulas depois que ganhou a 2ª sanfona e agora pode deixar uma em casa e outra na escola.  O presente chegou de maneira inesperada, vindo da dupla sertaneja Jorge e Mateus.

A ideia partiu de Jorge, no ano passado, quando conheceu Felipe em um show em Campo Grande. “Enviei várias cartas. Também entregamos para Munhoz e Mariano, Luan Santana e Michel Teló, mas foi o Jorge que resolveu presentear quando conheceu Felipe no camarim”, conta a mãe, Diva Duarte, de 49 anos.

Diva e o filho pegam pelo menos três ônibus até o curso de sanfoneiro que fica no bairro Cophatrabalho. “Imagina como era levar uma sanfona dessa tamanho dentro do ônibus. Ela é grande, então estava ficando muito difícil. Mas como é muito cara, eu não tinha condições de deixar uma no curso e outra em casa”, lembra.

A mãe até acreditou que ganharia o presente de algum artista daqui, mas nunca recebeu a resposta de alguém. “Foi no show passado que ele contou ao Felipe que a sanfona já estava comprada. Quando foi em janeiro, o carteiro parou com um carro aqui na frente de casa e desceu com uma caixa enorme. Na hora eu só pensei que poderia ser uma presente. Eu chorei muito e Felipe ficou radiante”.

Felipe Silvino Duarte de Oliveira tem 20 anos e acompanha a dupla há 9 anos. Foi nesse momento que despertou o gosto pela música sertaneja, acredita Diva. “Ele tinha 11 anos quando eu percebi que a música mudava ele. Com o tempo passou a me pedir para ir em shows, só que por conta da idade, não era possível ir em todos”.

Sentado na varanda de casa, Felipe comenta pouco enquanto observa a entrevista. “Tenho foto com um monte de artista”, afirma.

Diva já perdeu as contas de quantos cantores Felipe já abraçou ao longo dos anos. De nem todos ele conseguiu a permissão para tirar foto, mas a parede do quarto e os porta-retratos da sala não deixam negar que Felipe é fã número um de camarim. “Acho que ele já deve ter conversado com umas 200 pessoas de lá pra cá. Tem gente que fica difícil lembrar”, diz Diva.

Até o figurino do show a mãe pensa. No caso de Jorge e Mateus, compra sempre para Felipe as camisetas da grife que Jorge usa. “Com o tempo descobri que a esposa dele tem uma marca de roupa. E sempre que tem um show deles, Felipe quer ir com uma camiseta da marca. E Jorge até o reconhece quando está na frente do palco”, diz a mãe. Felipe reforça: “Ele fala que sou um seguidor dele”, afirma.

A sanfona é guardada com todo cuidado dentro da caixa. Para exibir, Felipe mostra cuidadosamente as toalhas de rosto com a marca da dupla. Em mãos, ele toca a canção natalina e de parabéns que aprendeu perfeitamente. “Ele não sabe ler, então tudo que ele vem aprendendo é sem partituras, apenas escutando. Ainda por cima é canhoto e como não dá para virar a sanfona, ele foi se adaptando com o tempo“, conta Diva.

Foi aos cinco anos de idade que a mãe soube que tinha algo diferente com o filho. O diagnóstico na sala da neuro-pediatra foi um susto, quando ela nem compreendia o que era autismo. “Ele estava na fase da pré-escola, até então nunca apresentou nada. Mas eu via que ele não brincava com outras crianças e decidi levar ao médico”, lembra. 

Na cabeça da mãe eram muitas as questões levantadas, mas ela decidiu que faria de tudo para ver Felipe contente. “Quando ele começou a querer conhecer os artistas, eu não tinha condições em todo momento. Então eu decidi mudar a minha profissão para dar a chance de ver ele feliz sempre”.

Diva passou a vender ingresso de shows na cidade e foi ao encontro de empresários como Walter Junior e Eduardo Maluf, que abriram as portas. “Eu fui insistente, contei a nossa história de vida e o sonho do Felipe. Ele me deram apoio e sempre que tem um evento, entram em contato comigo”. 

Diva ajuda na divulgação e na venda de ingressos. “Eu entrego panfleto, falo do evento para as pessoas e por onde vou estou com Felipe. Foi a maneira que eu consegui de realizar o sonho dele”, diz

E quando Felipe não consegue um foto com o artista, a mãe conta que volta chateado para casa. “Teve um show da Ivete Sangalo em um trio elétrico, ele chegou a ser sorteado na rádio para assistir pertinho dela, mas na hora ela não deixou fazer foto e ele recorda disso até hoje”.

Felipe então descreve o momento. “Estava um frio de 10 graus, era no show com o Eduardo Costa”, lembra Felipe.

Agora, tudo que Felipe quer é aproveitar o próximo show de Jorge e Mateus para agradecer pessoalmente. “Ele merece, mudou a vida do meu filho. Quero dar um abraço apertado e Felipe também”, torce Diva.

Para ela, o mais importante é ver o sorriso do filho ao final de cada show. “A música trouxe outra felicidade para ele. Eu brinco que daqui uns dias ele vai me levar de bengala para cada show, mas eu não vou deixar de ir. Toda vez que ele volta de algum evento, vem sorridente, conversando mais e eu percebo que a música só faz bem. Por isso a gente também é uma dupla”, declara a mãe.

ATENÇÃO: a fonte das matérias publicadas neste blog, sempre será indicada. Caso tenha alguma dúvida sobre a matéria ou algo nesse sentido, peço a gentileza em entrar em contato com os responsáveis pela a fonte.

Fonte: site Campo Grande News por Thailla Torres (matéria e foto).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website