MPE questiona lei de rebaixamento de meio fio

Foto de um carro (fusca) em cima da calçada em frente a uma loja, atrás do carro está passando um pedestre.O Ministério Público (MPE-MT) ingressou com ação questionando a constitucionalidade da Lei Municipal 354/2014, que permitiu o rebaixamento de meio fio nas ruas de Cuiabá para a implantação de estacionamentos. A lei foi sancionada em outubro do ano passado pela Câmara Municipal de Vereadores, após veto do chefe do Poder Executivo.

Segundo consta os autos, o órgão alega que a referida norma é uma afronta à Convenção Internacional das Pessoas com Deficiência, pois compromete a acessibilidade e a mobilidade urbana. Foi destacado também que com o rebaixamento do meio fio para a implantação de estacionamentos, o espaço nas calçadas para a passagem de pedestres será reduzido consideravelmente.

“Com a modificação, os veículos poderão disputar os passeios públicos com os pedestres, ocorrendo um retrocesso legislativo que afronta, também, a Convenção Internacional das Pessoas com Deficiência, internalizada no nosso ordenamento jurídico com status de emenda constitucional”, afirmou o MPE.

Outro ponto abordado na ação refere-se à competência para a apresentação de projeto de lei relacionado ao gerenciamento urbano. O argumento é de que a matéria é tipicamente administrativa e que, portanto, não poderia ter sido proposta pela Câmara Municipal. “Compete ao Poder Executivo, e não ao Poder Legislativo, a iniciativa de leis de caráter concreto relacionadas ao planejamento urbanístico”, sustentou.

Também consta na ação que não houve qualquer tipo de planejamento para a modificação da lei de gerenciamento urbano. O projeto foi aprovado e sancionado pela Câmara Legislativa em apenas dois meses. A referida lei alterou os artigos 232 e 234 da Lei Complementar 004/1992.

A ADIN foi proposta pelo procurador-geral de Justiça adjunto, Hélio Fredolino Faust, no dia 17 de dezembro, após representação dos promotores de Justiça que atuam na Defesa da Ordem Urbanística em Cuiabá, Carlos Eduardo Silva e Gerson Barbosa.

Readequação – O Circuito MT abordou este assunto em outubro do ano passado. Comerciantes e lojistas da região Central de Cuiabá entraram com uma ação para tentar readequar a lei, para que evite o estacionamento irregular de carros para garantir a acessibilidade de pedestres, cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção.

Fonte: site Circuito Mato Grosso – Com assessoria do MPE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website