Galeria faz oficinas para cadeirantes, deficientes visuais e auditivos

Com o objetivo de investir na inclusão de cadeirantes e pessoas com deficiência visuais e auditivas; e despertar em cada uma delas a prática das artes visuais, valores e habilidades, a Galeria Homero Massena (GHM), no Centro de Vitória, se preparou para oferecer uma série de oficinas acessíveis voltadas para as técnicas de iniciação em gravura. A ação faz parte do calendário de atividades da atual exposição da Galeria,Impressões do acervo, em cartaz até o dia 22 de agosto.
 
As oficinas serão ministradas pelo artista plástico Thiago Arruda e as inscrições neles devem ser feitas pelo e-mail ghmassena@gmail.com. Todas as atividades são gratuitas. 
 Foto da fachada da galeria de arte que tem a cor vermelha.
A Galeria Homero Massena tem investido na qualificação dos mediadores por meio de parcerias como o Instituto Luiz Braille; o Centro de Atendimento aos Surdos (CAS); e o Programa de Extensão em Libras da Universidade Federal do Espírito Santo (Acessibilidade em Comunicação para Pessoas Surdas).
 
“O atendimento aos grupos de pessoas com deficiência tem se tornado um diferencial desse equipamento cultural, pois além de terem acesso à informação em Braille e em Libras, as pessoas com deficiência são estimuladas a se relacionar com o espaço cultural e o conteúdo da exposição por meio de experiências sensoriais”, explica FranquilandiaRaft, coordenadora da Homero Massena
 
Segundo o artista plástico Thiago Arruda, o processo de oficinas voltadas para este público começou em 2013, período em que realizou a mostra Naquela Mesa, na Galeria. Foram ofertadas oficinas de gravuras voltadas para cadeirantes e a repercussão foi positiva. “Organizamos uma exposição com todos os trabalhos criados durante as oficinas, foi muito emocionante saber que, depois, muitos oficineiros continuaram com a arte”, afirma. Trabalhar com deficientes visuais, auditivos, cadeirantes e crianças é um grande desafio. “As oficinas irão abordar diferentes técnicas de gravura, cada uma voltada para um tipo de público”, completa.  
 
Exposição Impressões do acervo
 
A coleção de gravuras da Galeria Homero Massena abarca não só as obras dos artistas que realizaram exposições no espaço ao longo de seus 38 anos de existência, mas também obras doadas à Fundação Cultural do Espírito Santo quando as mostras aconteciam no Theatro Carlos Gomes, no início da década de 1970 e as que pertenceram à Galeria Álvaro Conde, equipamento cultural que funcionou dentro da Secretaria Estadual de Educação até 1992, quando foi extinto.
 
A visitações são abertas ao público, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h; e aos sábados, das 13h às 18h.
 
As oficinas
 
As oficinas acessíveis de gravura serão ministradas por Thiago Arruda no Sesc Glória, também no Centro de Vitória.  A primeira atividade é a Iniciação à Xilogravura (gofrado), para pessoas com deficiência visual (baixa visão e cegos). Ela já se iniciou na última sexta-feira (11) e segue até sábado (18), das 13h às 18h
 
No próximo dia 25, até primeiro de agosto, será realizada a oficina de – Iniciação à Xilogravura, para pessoas com deficiência auditiva (surdos), das 13h às 18h. E nos dias 8, 15 e 22 de agosto será a vez da oficina de Iniciação à Gravura em Metal, para pessoas com mobilidade reduzida ou com deficiência física (cadeirantes), das 13h às 18h. Todas as atividades são gratuitas. 
 
Serviço
– A exposição Impressões do Acervo fica em exposição para o público até o dia 22 de agosto, de segunda a sexta das 9h às 18h; e aos sábados das 13h às 18h, na Galeria Homero Massena – Cidade Alta, Centro de Vitória, Vitória. 
Fonte: site Século Diário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website