Financiamento coletivo em prol da aposentadoria de cães-guia chega à reta final

O Instituto IRIS está mobilizando a sociedade para transformar uma triste estatística nacional. No Brasil há uma estimativa de 100 cães-guia que ajudam pessoas com deficiência visual – ou com baixa visão – a se locomoverem e a se sentirem incluídas socialmente. Em contrapartida, o país possui 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual (IBGE). Hoje, o IRIS conta com uma lista de quase 3 mil pessoas, aguardando um cão-guia. Além do objetivo de diminuir essa fila de espera, o empenho está voltado para aposentar os cães-guia que já atuam há oito anos ou mais. Para vencer enorme desafio de ampliar a doação de cães-guia, o IRIS lançou a campanha de financiamento coletivo “Cão-Guia: quanto vale o seu olhar?”.

Há menos de 10 dias para o encerramento da campanha, os voluntários do Instituto IRIS – entidade sem fins lucrativos fundada por Thays Martinez para promover a inclusão social prioritariamente das pessoas com deficiência visual, por meio do cão-guia – correm contra o tempo para disseminar a causa. A meta é buscar cães-guias treinados pela ONG Leader Dogs for the Blind, instalada em Rochester (Michigan). A organização norte-americana é parceira do IRIS há mais de uma década. As doações podem ser feitas pelo link: https://iris.kickante.com.br/

Segundo Thays Martinez, presidente do Instituto IRIS, há quase 10 pessoas com deficiência visual que têm cães-guia que precisam se aposentar após anos de trabalho. “O cão-guia apresenta uma alternativa à tradicional bengala, proporcionando ao cego maior confiança, mobilidade e independência – em relação a terceiros –, permitindo ampliar o contato com a comunidade. Um outro fator relevante é que a presença do cão-guia ajuda a melhorar a autoestima, a combater a solidão e a fazer amigos. Essa ação tem o objetivo de convidar a população a enxergar e apoiar a nossa causa”, afirma Thays.

A campanha anterior, realizada em 2016, foi um sucesso e garantiu a aposentadoria dos cães-guia Leila, Sam, Harley e Sirius. A nova turma – Wayne, Valen, Indy e Rudy – já está na ativa e ganhou as ruas de São Paulo. Desde a sua criação, em 2002, a organização já doou 40 cães-guia.

IRIS

O Instituto IRIS, organização sem fins lucrativos, é um dos pioneiros no Brasil na difusão do cão-guia como facilitador do processo de inclusão da pessoa com deficiência visual. Fundado em 2002 pela advogada Thays Martinez, o IRIS tem a missão de desenvolver atividades e projetos que acelerem o processo de inclusão social das pessoas com deficiência. No cerne da atuação, a inclusão, responsabilidade social, a elevação da qualidade de vida e o desenvolvimento humano das pessoas com deficiência por intermédio do desenvolvimento, apoio e execução de projetos de caráter cultural, social, jurídico, científico, tecnológico e educacional que viabilizem a realização dos objetivos.

O desafio da organização é aumentar o acesso das pessoas que querem um cão-guia a esse benefício. Atualmente, o IRIS conta com uma lista composta por mais de 3 mil pessoas. Além do objetivo de doar cães-guia a quem aguarda o benefício, temos um sonho a ser realizado: criar uma estrutura para treinar cães-guia no Brasil, oferecer classes a instrutores e disseminar informações precisas sobre a enorme contribuição dos cães-guia na vida das pessoas com deficiência visual ou baixa visão. O nosso foco é tornar público os benefícios proporcionados por esses cães que são responsáveis por realizar imensa transformação na vida daqueles que os recebem.

A organização é uma das poucas no Brasil a contar com um instrutor reconhecido pela Federação Internacional de Escolas de Cães-Guia (International Guide Dog Federation, Inglaterra) e qualificado pela Royal New Zealand Foundation for the Blind – Guide Dog Services (Nova Zelândia).

Fonte: site Pantal News.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website