Elevador quebrado impede cadeirante de frequentar aulas

Foto do cadeirante no portão da escola.Lutando para conseguir se formar no ensino médio e ter mais oportunidades no mercado de trabalho, o cadeirante José Luiz não tem conseguido assistir às aulas do supletivo na escola Milton Campos, em Bangu, zona oeste do Rio. Ele depende de um elevador, que está quebrado há duas semanas, para chegar ao 2º andar da instituição. Além disso, José percorre um trajeto de 1 km com sua cadeira pelo meio da rua até a sala de aula. Essa foi a melhor saída que ele encontrou para não deixar de estudar.

— Não temos calçada para andar com a cadeira de rodas. Prefiro andar pela rua todos os dias. Acho menos difícil do que dar sinal para um ônibus parar e o motorista ficar com raiva, ser mal humorado. Outra hora é a rampa que não funciona. Então como eu vou fazer um percurso para estudar vendo a cara de má vontade das pessoas?

O ex-cobrador de ônibus de 44 anos enfrenta um período de provas que começa nesta semana. Ele tem feito os exames no corredor da escola. Segundo José, isso atrapalha muito o raciocínio, já que os alunos circulam constantemente ao seu redor enquanto ele tenta responder às questões.

O prédio tem duplo funcionamento: durante o dia, recebe uma escola municipal e, à noite, o supletivo é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Educação.

A Secretaria Municipal de Educação informou que o reparo no elevador será feito até o fim deste mês de abril. Enquanto isso, José Luiz continua aguardando por uma providência.

— Até quando vou ficar esperando que esse elevador seja consertado para que eu volte a ter minhas aulas normais?

Fonte: site R7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website