Educação de Mairinque entrega máquina de Braille para aluna com deficiência visual

A Escola Maria Ignês Blanco Abreu, que fica no bairro Nova Mairinque, recebeu da Secretaria Municipal de Educação, no último dia 27 de agosto, uma máquina de Braille que será de uso exclusivo da aluna Geovana Beatriz Pereira, deficiente visual.

A estudante cursa o 6º ano, tem 12 anos e é cega desde o nascimento. Mora na cidade vizinha Alumínio, mas disse que faz questão de continuar estudando em Mairinque. “Aqui eu me sinto muito acolhida, tenha a ledora Cilene que sempre me acompanha e me auxilia muito”, diz Geovana.

Foto do letreiro com o nome da cidade de Mairinque na entrada da cidade.

O Ledor ou a ledora Braille é o profissional especializado em auxiliar o deficiente visual na leitura de textos, bem como na compreensão do contexto social. Uma de suas funções é ler em voz alta e promover a interação entre o deficiente, professores e demais alunos.

A entrega do equipamento à aluna foi feita pela secretária de Educação Michele Palma, juntamente com a equipe da Secretaria de Educação e a mãe da aluna, Vera Lucia de Mello. Ao receber o equipamento, a estudante foi questionada sobre as expectativas que ele tem de agora em diante e logo disparou: “Vou evoluir ainda mais do que tudo que já aprendi até aqui”.

Segundo a diretora da unidade, Ana Paula Grando Fornaziere, a aluna interage com os colegas de classe e professores, participa dos programas pedagógicos, das atividades lúdicas, assimila as principais informações e, acima de tudo, é muito comunicativa.

Geovana tem o acompanhamento de uma ledora, Cilene Cristina Bozoky que acompanha a aluna durante toda a aula lendo em voz alta o que ela escreve no sistema Braille e, também, lendo para a estudante o que a professora escreve no quadro, assim ela consegue interagir durante todo o tempo. “Com uma máquina do sistema Braille exclusiva, ela terá um rendimento escolar igual aos outros alunos”, afirma a ledora.

A estudante está incluída no Núcleo de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação, coordenado pela professora Maria da Conceição Valente Vidal e supervisionado por Suely Ana de Almeida Nascimento. De acordo com a coordenadora, a inclusão de deficientes visuais é garantida pelo Decreto Federal nº 7.611.

Atendimento Especializado

A Rede Municipal de Ensino de Mairinque conta com sete pólos de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Esses pólos contemplam todas as escolas da rede e também promovem consultas individualizadas em contraturno com o horário de aulas. A AEE foi criada para acolher alunos com necessidades especiais como deficientes auditivos, visuais, autistas, Síndrome de Down, hiperativos entre outros.

É muito importante os pais comunicarem a Secretaria Municipal de Educação, na ocasião da matrícula, das necessidades especiais dos seus filhos. “Uma vez cientes das deficiências, vamos providenciar as adaptações junto aos pólos de Atendimento Educacional Especializado (AEE) e iniciar o trabalho de inclusão. Quanto mais cedo ocorrer a estimulação das crianças que têm alguma necessidade especial, melhores serão os resultados”, finalizou a coordenadora Maria Conceição.

Sistema Braille

O Sistema Braille é um processo de escrita e leitura baseado em 64 símbolos em relevo, resultante da combinação de até seis pontos dispostos em duas colunas de três pontos cada. Pode-se fazer a representação tanto de letras, com algarismo e sinais de pontuação. Ele é utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão.

Fonte: site Guia São Roque por assessoria de imprensa da Prefeitura de Mairinque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website