Deficientes físicos pedem ampliação de horário de transporte especial

Deficientes físicos que dependem do transporte oferecido pela Prefeitura Municipal de Passos (MG) pedem que o serviço seja em horário integral, das 6h às 23h30. Segundo eles, a demanda é maior que os veículos disponíveis atualmente, e o problema poderia ser resolvido com a ampliação do horário. Para isso, a prefeitura precisa assinar um aditivo ao contrato do serviço, e segundo o secretário de trânsito da cidade, não há um prazo para que isso aconteça.

Foto: site: www.valcir.com.br
Paulo César da Silva ficou tetraplégico em um acidente há 25 anos. Mesmo na cadeira de rodas, Silva conta que tem dificuldade para se locomover por não ter forças nos braços para empurrar a cadeira. Para tratamentos de saúde e qualquer outro compromisso ele depende do transporte oferecido pela prefeitura, mas ele reclama da demora constante dos veículos.

Em Passos, são dois veículos adaptados, um micro-ônibus com capacidade para transportar sete cadeirantes e seis acompanhantes, e uma van com quatro lugares para cadeirantes e um para acompanhante.

Todos os dias cerca de 120 deficientes utilizam o transporte coletivo oferecido pelo município, incluindo alunos da APAE e outros estudantes deficientes, mas segundo eles a demanda é maior e o problema poderia ser resolvido com a ampliação no horário de funcionamento de apenas um veículo.


Segundo o gerente da empresa que presta o serviço à prefeitura, o micro-ônibus funciona de 6h às 23h30. Já a van circula das 6h às 8h e depois das 11h às 18h. O horário só poderia ser estendido caso a prefeitura fizesse um aditivo ao contrato.


A van fica mais de oito horas parada no pátio da empresa, enquanto muitos pacientes poderiam ser atendidos. Hélio Antônio de Souza, presidente da Associação dos Portadores de Deficiência Física, reivindica a ampliação do horário há dois anos.


Souza procurou o Ministério Público, que já se reuniu com a prefeitura e com a empresa que presta o serviço de transporte coletivo. O diretor de trânsito afirma que a planilha enviada pela empresa já está sendo analisada, mas não há um prazo para que o problema seja resolvido.


O promotor Éder Caputi informou que está marcada para a próxima terça-feira (21) uma reunião entre o Ministério Público, a prefeitura e a associação dos deficientes físicos pra definir quando o horário das vans será estendido.
 Fonte: site G1.com do Sul de Minas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website