Curso ensina técnicas de uso do soroban para deficientes visuais

O Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies), por meio do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP), oferta 60 vagas para o curso Técnicas de uso do Soroban (nome dado ao ábaco japonês). Com carga horária de 20h, a formação será realizada entre os dias 20 e 24 deste mês.

Serão duas turmas de 30 integrantes, uma no período matutino e outra no vespertino para melhor atender os interessados. As fichas de inscrições podem ser entregues diretamente no Casies ou enviadas por para e-mail cba.casies@seduc.mt.gov.br até o dia 17 de junho.

O curso é gratuito e destina-se preferencialmente aos professores de salas de recursos multifuncionais da rede pública de ensino, familiares e interessados na área da deficiência visual. O conteúdo será ministrado pelas professoras especialistas Carla Magna Mouta da Silva Santos, Lilian Paz Gonçalves e Rosa Hissae Takiuche, com o objetivo de proporcionar conhecimentos teóricos e práticos na realização de cálculos matemáticos utilizando soroban.

Neste material está incluído o pré-soroban, que trata da fundamentação teórica do instrumento, seu histórico, os tipos disponibilizados, as adaptações para o uso de pessoas cegas no Brasil, requisitos e conceitos básicos necessários para a utilização, desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático, elementos primordiais utilizados na formação de conceitos numéricos e adaptação de jogos.

A parte sobre o soroban engloba as recomendações metodológicas na sua utilização; escrita e leitura dos números; noções pré-algorítmicas, realização de operações matemáticas simples.

Metodologia

As aulas serão expositivas, contando com a participação ativa dos inscritos. “Essa interação possibilita que questionem, interpretem e discutam o que estão aprendendo, consequentemente torna o conteúdo mais dinâmico e atrativo”, frisou a diretora do Casies, Valdite Aparecida Heinzen.

Os participantes serão avaliadas pela sua participação e frequência durante o curso, além de oralmente e por escrito.

Os materiais utilizados na oficina será de responsabilidade dos participantes. Os itens incluem cola quente; tesoura, folhas de papel cartão, régua, lápis, entre outros que devem ser averiguados junto ao Casies.

Soroban

O soroban surgiu na China há cerca de quatro séculos e se difundiu por outros países, tanto que existem modelos japoneses, romanos, grego, russo e chinês. Começou como um simples instrumento onde eram registrados valores e realizadas operações de soma e subtração e, depois, foram desenvolvidas técnicas de multiplicação e divisão.

Atualmente já são conhecidas técnicas para extração de raízes (quadrada e cúbica), trabalho com horas, minutos e segundos, conversão de pesos e medidas. No soroban podemos operar com números inteiros, decimais e negativos.

O objetivo é realizar contas com rapidez e perfeição, buscando alcançar o resultado sem desperdícios. Ele ajuda a desenvolver concentração, atenção, memorização, percepção, coordenação motora e cálculo mental, principalmente porque o praticante é o responsável pelos cálculos, não o instrumento. A prática do soroban aumenta a compreensão dos procedimentos envolvidos e exercita a mente.

Casies

Além do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP), o Casies, pertencente a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), agrega também o Centro de Formação de Profissionais da Educação e Atendimento à Pessoa Surda (CAS), o Núcleo de Atividades às Altas Habilidades e Superdotação (NAAHS), o Núcleo de Apoio Pedagógico aos Transtornos de Aprendizagem (Napta) e o Núcleo de Apoio Pedagógico ao Déficit Intelectual (Napdi).

A unidade funciona na rua dos Crisântemos, número 16, no bairro Jardim Cuiabá, em Cuiabá.

Informações: (65) 3321-4346 / e-mail: cba.casies@seduc.mt.gov.br

Fonte: site Cenário Mato Grosso. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website